Sobre

Em 2017 depois de 12 anos atuando na área de UX, CX, UI eu fundei a J.FSK. Uma consultoria na área de experiência e inovação que apoia empresas e investidores na construção de projetos, análises e pesquisas para os mercados financeiros e de seguros.

Olá, falando sobre mim eu me chamo Jean Felski e sou um geminiano do último decanato. Por que eu sei e falo disso? Bom, nas idas e vindas dos anos 2000 eu estava no final do Curso Técnico e foi uma fase da minha vida onde eu comecei a aprender a lidar com o mundo e para tudo o que ele pudesse me trazer.

Toquei em bandas, cantei em coral, andei com o pessoal do Teatro, fiz amigos aqui e acolá e os signos eram uma ótima proposta de papo inicial. Não importa o grau de instrução ou ceticismo que a pessoa tenha, quando falamos sobre astrologia o assunto é polêmico e gera no mínimo boa risadas.

Quem nunca leu o horóscopo para os amigos, ou comparou fulano e cicrano com os perfis indicados. Analisou ou viu as tendências que os astros apresentam? Se nunca fez eu recomendo! As vezes o perfil é igualzinho ao descrito, apesar disso, o que importa de verdade é o que fazemos. Na Wicca, por exemplo, dizem que o que fazemos volta pra gente. Se fazemos algo bom ou ruim, o “destino” tratará de nos responder na mesma forma ou moeda.

Como podem perceber até aqui os assuntos propostos por mim são muitos e vão bastante além dos signos. Apesar disso, para não se alongar demais neste post inicial eu quero falar um pouco mais de mim.

Hoje estou próximo dos 37 anos, sou casado, pai de um casal de filhos e ainda insisto nessa história de signos. Insisto, porque me tornei especialista em comunicação, trabalho com projetos de inovação e uso os signos, simbologias, semiótica e semiologia em muitos dos meus trabalhos.

Nesse sentido, o que me norteia hoje em dia não é a área de horóscopos nos jornais, mas sim aquela mesma motivação que eu tinha a 20 anos atrás. A motivação de ir atrás de assuntos polêmicos, de tentar entender como as pessoas e os “gadgets” funcionam, de querer todo dia um mundo melhor para os meus filhos.

Convido então você que tem esse espírito inquieto, que adora explorar e não consegue ficar parado, para me acompanhar nessa jornada. Quem sabe algumas ideias daqui evoluam para startups, teses e projetos… Sonho meu?